Bob Wolfenson nasceu em 1954, em São Paulo, onde vive e trabalha. Do início de sua carreira, aos dezesseis anos de idade, até os dias de hoje, Wolfenson tem trabalhado com diversos gêneros da fotografia. Uma das referências nacionais como retratista, fotógrafo de nus e de moda, Wolfenson transita entre seus projetos artísticos e a publicidade. Suas exposições de maior destaque aconteceram em influentes instituições brasileiras, como o Museu de Arte de São Paulo (MASP),  Centro Cultural Maria Antonia, Museu de Arte Brasileira (MAB-FAAP), assim como na Galeria Millan - que o representa desde 2004. Muitas de suas obras fazem parte do acervo de museus e galerias, tais como Itaú Cultural, Museu de Arte Contemporânea de São Paulo (MAC), Museu da Fotografia da Cidade de Curitiba, Zacheta National Gallery of Art (Varsóvia), além de diversas coleções particulares.

Trabalhou e trabalha para publicações como: Folha de São Paulo, Veja, Vogue, Elle, S/N, Playboy, Harper’s Bazaar, Marie Claire e Rolling Stone e publicou livros como “Jardim da Luz” (Editora DBA/Companhia das Letras, 1996), “Moda no Brasil por Brasileiros” (Cosac Naify, 2003), “Antifachada-Encadernação Dourada” (Cosac Naify, 2004), “Cinépolis” (Schoeler, 2009), “Apreensões” (Cosac Naify, 2010), “Belvedere” (Cosac Naify, 2013), 24x36 (Schoeler Editions,2013) e  “Bob Wolfenson” (Terra Virgem Edições, 2017), além de se apresentar em diversas exposições individuais, como as mostras: “A Caminho Do Mar”, 2007 “Nósoutros”, 2017, na Galeria Millan, ou coletivas como a “Modos de Ver o Brasil“ na Oca-Ibirapuera, um mergulho na coleção do Itaú Cultural, também em 2017.

Em 2018 inaugurou a mostra Retratos, com curadoria de Rodrigo Villela, no Espaço Cultural Porto Seguro em São Paulo, aclamada como uma das melhores mostras fotográficas do ano, com grande repercussão de público e crítica, e que traz uma seleção preciosa e histórica de fotografias dos 50 anos de sua carreira.

 

-

Bob Wolfenson was born in 1954 in São Paulo, where he now lives and works. From the beginning of his career, when he was only sixteen years old, Wolfenson has worked with a variety of photographic genres. One of the national references as a portraitist, nude and fashion photographer, Wolfenson transits between the advertising and art world. His major exhibitions have taken place in influential Brazilian institutions, such as the Museu de Arte de São Paulo (MASP),Centro Cultural Maria Antonia, Museu de Arte Brasileira (MAB-FAAP) and Galeria Millan, his representing gallery since 2004. Many of his works can be found in the archival collections of various museums and galleries, as Itau Cultural, Museu de Arte Contemporânea de São Paulo (MAC), Museu da Fotografia da Cidade de Curitiba, Zachęta National Gallery of Art (Warsaw), and in diverse private collections.  

He has worked and continues to work for publications as: Folha de São Paulo, Veja, Vogue, Elle, S/N, Playboy, Harper's Bazaar, Marie Claire and Rolling Stone and has published books such as “Jardim da Luz” (Editora DBA/Companhia das Letras, 1996), “Moda no Brasil por Brasileiros” (Cosac Naify, 2003), “Antifaçade – Golden Binding” (Cosac Naify, 2004), “Cinepolis” (Schoeler Editions, 2009), “Seizures” (Cosac Naify 2010), “Belvedere” (Cosac Naify, 2013), “24x36” (Schoeler Editions, 2013) and “Bob Wolfenson” (Terra Virgem Edições, 2017), in addition to his many solo shows with projects as “A Caminho do Mar,” 2007 and “Nosoutros,” 2017 at Galeria Millan, and group shows as “Modos de ver o Brasil” at Oca-Ibirapuera, also in 2017.

In 2018 he launched Retratos, curated by Rodrigo Villela, at Espaço Cultural Porto Seguro in São Paulo. Retratos was acclaimed as one of the best photography shows of the year, very well received by the public and critics, bringing forth a precious and historical selection of his 50 year old career.